Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \18\UTC 2011

O garoto Juninho, assim que chegou ao Vasco, em 1995

A explicação para a liderança do Vasco no campeonato brasileiro tem nome: Juninho Pernambucano.

Não pelo seu futebol bastante acima da média demonstrado até agora.

E nem pelas suas cobranças de falta que já desequilibraram uma porção de jogos.

É chavão falar em liderança, espírito vencedor, jogador que une o grupo.

Em geral, essa explicação é subjetiva e impossível de se constatar.

Com Juninho, a história é diferente: foram dezesseis campeonatos nacionais disputados na carreira, e a incrível marca de 10 títulos.

Ao chegar no Vasco, em 1995, foi um dos principais responsáveis por um dos períodos mais vitoriosos da história do clube, ganhando uma Libertadores, uma Mercosul, dois Brasileiros e um Rio-São Paulo.

Quando se mudou para França, tornou o Lyon, que até então nunca tinha vencido um campeonato nacional, em hepta-campeão consecutivo.

Seu retorno ao Vasco, após quase dez anos longe da Colina, foi marcado por um gol de falta logo aos 5 minutos, e uma derrota contra a equipe do Corinthians.

No jogo seguinte, o time bateu o Inter por 2 a 0, dentro de São Januário.

Depois do jogo, Juninho, meio capitão e meio profeta, afirmou: “Eu fiquei preocupado porque estreie com uma derrota. A gente vinha de duas derrotas consecutivas e um time grande não pode ficar dois jogos seguidos sem vencer, quem dirá três?!” (Quem dirá, nove?)

E assim tem sido. Desde que Juninho chegou, a unica vez que o Vasco ficou dois jogos sem vencer foram os dois empates contra Fluminense e Flamengo.

De lá pra cá, foram 10 vitórias, 4 empates e apenas 2 derrotas.

Sem ser nenhum mago, sem ter nenhum craque, qualquer time com Juninho Pernambucano em campo disputa todos os campeonatos na parte de cima da tabela. E costuma vencer.

Anúncios

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: